Rubem Alves: “Há Algum Futuro para o Protestantismo na América Latina?”

O artigo a seguir é, até certo ponto, uma raridade. Foi publicado em Março de 1969, há quase 51 anos, portanto. Tem valor histórico. Nesses 51 anos o mundo mudou. E, dentro do mundo, mudaram a América Latina e o Protestantismo que nela existe (agora, mais forte do que jamais se poderia imaginar em 1969).

Em 1969 estávamos no auge do Regime Militar. O Rubem Alves estava terminando o Doutorado dele em Princeton e eu me preparando para iniciar o meu, em Pittsburgh. Estávamos ambos fora do Brasil. Cinco anos depois, em 1974, estaríamos os dois de volta ao Brasil, os dois na UNICAMP — ele no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, eu, na Faculdade de Educação (para onde ele se transferiu, tão logo eu assumi a direção da Faculdade de Educação). Nem em 1969, nem em 1974, havia, ainda, por exemplo, a Igreja Universal do Reino de Deus, do Bispo Edir Macedo, talvez o mais global dos empreendimentos brasileiros, e suas imitadoras. Mas havia o Pastor Manoel de Mello e o Movimento “O Brasil para Cristo” (OBPC), com o seu templo na Pompeia/Barra Funda (enorme para a realidade protestante da época – acomodava nove mil fieis).

Mas vale a pena ler o texto, em um .pdf amarelado. Ele foi publicado em um Suplemento do Boletim do CEI – Centro Ecumênico de Informações.

Para aqueles que não têm tempo de ler as oito páginas do artigo inteiro, ofereço um preview. Ele conclui assim:

Preview

Faça bom proveito.

Rubem Alves – Protestantismo na America Latina

Disponibilizado aqui, em 4 de Janeiro de 2020.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s